OS CORTES

cortes
Lembrando deste post para ajudar no preparo dos pratos para o final de semana! Muitas receitas trazem o nome dos cortes e isto parece alguma coisa complicada, não é! Simplificar a vida é uma mais fácil que parece.
Bom final de semana para todos, beijo

Para uma cozinha funcionar bem, a organização é fundamental. Aos poucos, começa-se a perceber que a sistematização facilita muito na hora de preparar qualquer coisa, por mais simples que seja.
Os cortes foram padronizados para que houvesse uma linguagem universal, pois tudo é muito relativo – o que é pequeno para um pode ser grande para outro. Com um padrão comum, pode-se preparar qualquer receita. Outro detalhe muito importante é que, não importa o tamanho escolhido, deve haver uniformidade no mesmo prato, independente se a escolha for
por um corte pequeno, médio ou grande. Assim, se você optar por um corte pequeno, seja constante. Caso contrário, o resultado é parte cozida e parte cru no mesmo prato.

 

Os cortes tradicionais são:

Julienne – fatias longitudinais e, depois, em bastões com 3mm x 3mm x 2,5 cm;
Brunoise – cubos com 3mm de cada lado;
Cubos pequenos – 6mm de cada lado;
Cubos médios – 9 mm de cada lado;
Cubos grandes – 1,5 cm de cada lado;
Chiffonade – corte de qualquer espessura usado para fatias folhas.
É isso aí. Boa semana para todos!

 

© Copyright Georgia Zeringota e Paula Weber – Todos os direitos reservados.

Receitas relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


− três = 1